segunda-feira, 23 de julho de 2012

Vigília pela Educação - Porto- zelando por um "jardim" em perigo...

(C) Margarida Alegria (Porto, 18-7-2012, Pr.da República)
Finalmente a foto-reportagem da Vigília pela Educação, no Porto (de 18 para 19 de Julho, entre as 19h e as 12h do dia seguinte, na Praça da República). Depois de muitas peripécias e problemas de rede,durante alguns dias, consegui agora  fazer um primeiro post com algumas das imagens captadas e breves legendas/apontamentos. Não são mais, as fotos, pois a bateria da máquina não aguentou até à madrugada.
Logo já sairá novo post com reflexões sobre o evento.Que espero/todos esperamos que tenha sido apenas um arranque de  muitas mais acções de protesto e de sensibilização do País-- e também de uma união muito maior entre TODOS os docentes,-- em defesa não só dos seus postos de trabalho como sobretudo em defesa do Ensino Público de qualidade.
Nesta primeira foto, captada durante a primeira hora da Vigília, o empréstimo espontâneo e providencial de um  megafone por  um cidadão que por ali passou, ajudou a esclarecer um dos objetivos da Vigília: a assinatura de uma Carta Aberta ao ministro Nuno Crato. NO arranque do evento, a que assistiram diversos jornalistas e algumas estações de TV, o número rondava a centena e meia de docentes, mas muitos transeuntes (alguns até ciclistas, como podemos ver) quiseram demonstrar a sua concordância como protesto, assinando também. A forte presença dos professores de EVT, dos mais lesados com as (des)medidas do MEC, sublinhava-se em laivos de amarelo, mas estiveram presentes colegas de todas as áreas e disciplinas, desde (alguns) professores contratados de entre os milhares  que agora são jogados para o desemprego, aos docentes com décadas de serviço e do Quadro das escolas que serão agora descartados para "horário Zero", passando por imensos que nem são agora directamente ameaçados com a mobilidade especial, mas que quiseram destacar a sua solidariedade. Vários docentes reformados, até, que, se fossem egoístas nem precisariam de se "incomodar" em ali estar,mas que sabem que a expressão "Um por todos e todos por um " não pode ser em vão.
Ao todo, naquelas horas, com mais ou menos tempo disponível para marcar presença (o trabalho nas Escolas ainda ocuparia muitos na manhã seguinte), terão passado umas 900 pessoas. Foram mais de seiscentas as assinaturas da Carta, entre docentes e cidadãos que por lá passaram, considerando que muitos só não assinaram pois não se aperceberam da pequena mesa que se rodeava da multidão.
Mais poderiamos ser? Muitos dos mais afectados ficaram petrificados e desanimados em casa? Sem dúvida. Mais seremos para a próxima, que, aproveito para  anunciar, será às portas da DREN, amanhã, dia 24 de Julho, pelas 17 horas (pedem que as vestes sejam brancas, mas claro que não é obrigatório!). Em Coimbra o protesto junto à DREC será no dia 25 e em Lisboa será no dia 27, à porta do Ministério, na Av. 5 de Outubro (sempre às 17 h).
Para além disso, numa sugestão do João P. Soares, embora alguns já tenham entrado em férias oficiais, os docentes pelo país poderiam pedir a convocação de reuniões Gerais e/ou de Departamento com quem ainda "por cá "andasse", para que se pudessem delinear estratégias para o arranque do Ano Lectivo, de verdadeiro protesto nacional DENTRO das escolas, de forma a demonstrarmos ao MEC que todos os docentes somos poucos, uns sem os que partem, para que o Sistema possa ser de verdadeira qualidade e excelência que é tão apregoada poe sucessivos governos e Ministérios! Docentes e directores têm de se mostrar colegas e unidos de uma vez por todas.Tais reuniões esta semana ainda, ou até ao fim do  mês. Que tal? PASSEM a PALAVRA, por favor. Não podemos deixar tudo esmorecer até Setembro...
(C) Margarida Alegria (Porto, 18.7.2012)
Tantos colegas de ET e de EVT "escorraçados" por um Currículo novo que despreza as artes! Ou, nas palavras bacocas do ministro , o pensamento de que o "desabrochar da criatividade" não se pode verificar antes de se saber ler, escrever e fazer contas (!!!). Que rica visão da Educação, sim senhor...
O caso da colega A.: quase 32 anos de dedicação -- a uma carreira onde o que menos importa é o "carreirismo" de competir com os outros, mas o educar crianças e nelas ter de se centrar--, para depois escutar de governantes insensíveis e inexperientes que... já não precisam dela para nada?
Que "janelas" de "oportunidade"(no desemprego) podem existir para quem já estava nos últimos anos de uma profissão altamente especializada e de formação específica, Dr. PPC?
(C) Margarida Alegria (Porto, 18-7-2012)
Ao fim de, respectivamente, 10 e 12 anos de serviço como professoras contratadas (por um Estado que é o primeiro a saber explorar a precariedade e que nega o que seria legal de se efectivar após três anos),  as colegas que acenderam estas velas poderão tentar outros rumos de vida, quem sabe até emigrar como o Primeiro-Ministro desistente ou o turbo-licenciado Relvas aconselham.
Mas fiquem sabendo que 10 anos nesta profissão docente significam muitas horas de aprendizagem e especialização, são já muitos anos de experiência que um país ainda em Desenvolvimento deveria não desbaratar. Mas o MEC continua insensível a esta realidade, sem rumo numa política coerente de Educação, ao longo de décadas, mas especialmente nos últimos 10 anos. O frutuoso saber aproveitar da experiência dos mais velhos para irem passando o testemunho aos mais novos também não interessa  aos últimos três Ministérios que nos desgovernaram, pela forma como humilharam os docentes e fizeram milhares requerer a reforma antecipada, profundamente revoltados e desiludidos.
Empregarem docentes ou uns  meros guardadores de crianças deve ser tudo igual nas mentes de quem toma as rédeas do Ministério..."No pasa nada", como dizem os outros...
(C) Margarida Alegria (Porto,19-7-2012)
Já após a meia noite, nas horas de maior afluência (acabado as tarefas na escola, jantados...), entre as 22h e a 1h, o anunciar do ponto de situação das diversas Vigílias  a decorrer nas várias capitais de Distrito (Lisboa, Coimbra, Aveiro, Vila Real, Braga, Faro, Viseu.... e até... Guimarães, embora não sendo cap. de Distrito, mas como Capital da Cultura 2012).
Pena que muitos tenham pensado que a vigília era só dia 18 à noite e tantos tenham esquecido que, caso não pudessem então teriam toda a manhã do dia seguinte para  "Vigiar". Bem, os docentes são ainda uma classe muito intimidada para as questões que tratam da luta pelos seus direitos, talvez porque os empurraram sempre para o olharem sempre para os seus alunos primeiro.
Vamos aprendendo, paciência. Da próxima haverá mais gente, como já disse. Desde que todos metamos na cabeça que, Professores e Escolas se identificam mutuamente , pelo que excluir os primeiros destrói as segundas , sem remédio. Uma Escola não se limita a um belo edifício equipado, mas vazio  de gente e da sua "alma". E a alma da escola está em professores(sim senhores, não vamos em cantigas, está em nós também !) e alunos. Só quando todos entendermos isto é que nos deixaremos de complexos de inferioridade, que nos intimidam perante críticas externas à mínima greve ou iniciativa pela classe em si que ousamos. Daí até nos termos metido em manifestações aos sábados, para não "prejudicar alunos". E depois, que lucrou a Educação com isso se, ao voltarmos para as escolas ,fomos cedendo a todas as medidas e pressões como se nada se tivesse passado?
Sem nós, docentes, as escolas não funcionam, as crianças e jovens não aprendem verdadeiramente. Pelo mundo fora já há o alerta: o factor humano é o que mais pesa no apetrechamento das Escolas e na melhoria dos resultados. Não devemos ter receio de parar agora, de protestar e confrontar todos estes insultos à nossa dignidade, se metermos na cabeça que o temos de fazer  tem de ser feito AGORA, para que o Futuro não fique hipotecado para sempre. E qualquer ser pensante sabe que,depois, o tentar reparar o que ficar "estragado" será mais duro e mais caro do que travarmos agora este carro Educativo desgovernado para o precipício da precariedade e para o mercantilismo...
(C) Margarida Alegria (Porto, 19-7-2012)
Perto das três da manhã. A cidade dorme. Velas formando símbolos  e letras ( amor, infinito, E de educação, EVT...) e  decorando o jardim, vão mantendo acesa a chama da Esperança que ainda nos resta e marcando a presença da Vigília, entre as dezenas  que vão podendo ficar, tendo todas estas luzes sobrevivido ao orvalho da noite sob a guarda de  um número que poderia dar título a uma aventura dos cinco , de Enid Blyton: quatro docentes "maduros" e um cão. Mas. como cantava Zeca Afonso, se "houver uma praça de gente madura" não haverá só "gaivotas em terra" nem ,acrescento eu, pessoas que se deixam atemorizar e/ou se conformam com o que é inaceitável...
Chegada a manhã, lá se apagaram as velas a pedido da chefe de manutenção do jardim. Os jardins querem-se despojados de tudo o que não seja árvores relva e flores. Sim. Entendemos o zelo de quem quer fazer a parte que lhe cabe pelo país. Nós também gostariamos que o nosso jardim (dos docentes) que é a Escola Pública  estivesse apenas centrada no desabrochar das flores que são os nossos alunos, livre de todos os papéis e "adereços" vários (partidários, economicistas...) com que quem está fora delas insiste em atulhá-la. E que tantas vezes não nos vissemos obrigados a  lutar contra as "pragas" burocráticas com que tentam infestar as suas "árvores" , o trabalho docente de ensinar.
Comecemos agora, ainda vamos a TEMPO, a exigir com todas as letras, que de uma vez por todas  possamos ser escutados para as decisões que são tomadas para o "nosso jardim": A ESCOLA PÚBLICA.
(bem... disse que ia apenas escrever legendas, mas fugiu-me neste post já o teclado para a reflexão... Mas já sabem como sou,eheh...e no habitual estilo colorido e um tanto dadaísta graficamente..)
Margarida Alegria (23-7-2012, in blog "Alegrias e Alergias")

7 comentários:

  1. Queria editar o texto (uma gralhita ou outra...) mas neste momento o "Blogger não me deixa. Tentarei mais tarde...
    à psartee a falta de uma ou outra vírgula:
    - onde se lê "tareas" claro que é "tarefas".
    - E os Cinco são "QUATRO docentes e um cão" (e não "cinco"... o Quinto dos cinco também era o cão, se bem se lembram... :)
    Assim que puder , corrijo no post.

    ResponderEliminar
  2. Querida Margarida,
    Continuo a pensar que erraste a profissão Jornalista ainda serias preniada. Nada te impede de ires enviando umas reportagenzitas para uns jornais virtuais ou não, já pensaste?
    A cunhada ficou com horário zero, é professora de EVT.
    Penso que as artes são muito importante, mas as opções deviam sermais variadas. E, quem não tem jeitopara desenho oucoisas manuais. Quem tem jeitopara a dança, o teatro, a pintura, a música??? Nunca se aproveitarão estes potenciais génios, para já não falar das diversas modalidades desportivas. Quando terão as escolas equipamentos decentes para formarmos atletas? Até a China as tem (bem agora são ricos, já sei...).
    Tanto talento desperdiçado. Conheço pais que financiam os filhos que vão ganahndo torneios de ténis ou são campeões na nataçao, mas acabam por desistir. Não há condições, literalmente. Esta escola pública está a definhar, se não for tratada poderá morrer, tal como o SNS. Ouvi um médica a dizer que já está decidido a sua extinção. Ficaremos como os EUA?
    Pelo menos parece que andam a tratar da saúde à própria e à educação. Que mais faltará?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. è como dizes muito talento desperdiçado de muitos nossos jovens: tantod que gostam de ir cantar a concursos, mas não há uma Educação Musical generalizada e respeitada em Portugal, quando até favorece quem não pretende seguir música ( concentração, organização do pensamento, e outras capacidades...) E também todas essas que dizem, que deveriam ser hipóteses reais/opções nas escolas, ou em algumas denrro da mesma região.
      E como falas nos desportistas: sabias que também vão acabar com as horas de Desporto Escolar, nas escolas, a única hipótese de prática desportiva mais dedicada em muitas zonas?
      É um descalabro.
      N a saúde pretendem que fique como nos EUA, também me parece. Nem vêm a desgraça que isso cria e que até em filmes se denuncia? Tudo dependente do reino dos Seguros de saúde, que então cá são uma aldrabice para quem mesmo precisa?
      Gostei ontem quando os ingleses, na Abrtura dos J, Olímpicos incluiram uma homenagem ao seu SNS universal!
      Resta talvez tratarem da saúde à segurança social, que já agoniza. Ficarem com todos os descontos para darem a não sei quem e despedirem e reformarem pessoas sem subsídios ou pensões... olha que pouco falta! :(
      Beijinho
      (Só agora tive tempo e Nete de jeito para responder a alguns comentários)

      Eliminar
  3. Margarida!
    Queria saudar a tua iniciativa de criar um blog. Pintas bem com as palavras e faz falta mais um blog com uma autora feminína! Alias o quinto elemento dos Cinco é uma cadela!
    Vamos continuar a lutar pela EDUCAÇÃO PÚBLICA a partir do Porto.
    ass. a cadela que era um cão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida "anónima"!
      Bem-vinda a comentar neste "caderninho"! :)
      O blog só começou a 30 de Outubro passado,tem aumentado o seu impacto devagarinho, criando raizes. Ainda bem que apreciaste.
      E tens razão: não há muitos blogs de autoras, em proporção.
      Sim , eu lembrava-e que o quinto elemento dos Cinco era uma cadela.A pequenita bem merecia a referência. Mas... hesitei um tanto pois... dizer "quatro docentes e .. uma CADELA" poderia gerar confusões de interpretação, devido a outros sentidos da palavra.
      Está certo que fico em falta para com a pequena P.: era uma cadela e muito charmosa , sim senhora!
      E cá entre nós foi a mais resistente de todos: aposto que estaria pronta a estar ali outras 17 horas! :))
      Sim . pela fantochada que se está a ver destas "negociações" de fantasia do MEC e sindicatos... parece-me que a luta pela Educação Pública vai continuar complicada, quer a partir do Porto quer em todo o país.
      "UM por todos e todos por um!" :)
      Beijinho e volta sempre!
      (P.S:: espreita os meus cartoons: os que estão nos separadores temático lá em cima, sob a foto, e também clicando nas etiquetas "Cartoons" e "Jejé e Companhia", na "ementa" de etiquetas que está na coluna direita do blog!)

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Muito obrigada, "Sem açucar".
      E bem-vinda a comentar.

      Eliminar